terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Escrever

Escrever é dinâmico, o ser é dinâmico.
Eu, pelo menos, sempre acordo diferente, vou escrevendo diferente, tão variada que quando me leio em ordem cronológica sinto as nuances.
A onda de agora chama-se fotopoema.
A princípio era poema, depois me apaixonei por fotografia. 
No começo achava um exagero um fotopoema, pois veja, há fotos que não precisam de palavras, são pura poesia visual, assim como há poemas escritos que não precisam de mais nada. Um dia eu acordei pensando que eu posso escrever um poema incompleto, ou um poema que se complete em uma fotografia ou vice-versa, assim, dentro do conceito criado por mim mesma para fotopoema, ele não seria simplesmente um poema escrito sobre uma foto. Não! Isso não é um #fotopoema.

Fotopoema: s.m. poema que se completa pela fotografia associada e que, em alguns casos, não tem sentido isoladamente.


Longe de tentar estabelecer um paradigma, vos apresento o que há para 2015 em Janete Lacerda, porque mudar é irresistível.

Um comentário:

  1. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
    é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
    Ficarei radiante,mas se desejar seguir, saiba que sempre retribuo seguido
    também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
    Sou António Batalha.
    A Verdade Em Poesia.

    ResponderExcluir

Comentar é irresistível...